Volte ao SPIN

SPIN01 SPIN02 SPIN03 SPIN04 SPIN05 SPIN06 SPIN07
SPIN08 SPIN09 SPIN10 SPIN11 SPIN12 SPIN13 SPIN14
SPIN15 SPIN16 SPIN17 SPIN18 SPIN19 SPIN20 SPIN21
SPIN22 SPIN23 SPIN24 SPIN25 SPIN26 SPIN27 SPIN28
SPIN29 SPIN30 SPIN31 SPIN32 SPIN33 SPIN34 SPIN35
SPIN36 SPIN37 SPIN38 SPIN39 SPIN40 SPIN41 SPIN42
SPIN43 SPIN44 SPIN45 SPIN46 SPIN47 SPIN48 SPIN49
SPIN50 SPIN51 SPIN52 SPIN53 SPIN54 SPIN55 SPIN56
SPIN57 SPIN58 SPIN59 SPIN60 SPIN61 SPIN62 SPIN63

SPIN64 SPIN65 SPIN66 SPIN67 SPIN68 SPIN69 SPIN70
SPIN71 SPIN72 SPIN73 SPIN74

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Dramaturgo Zé Celso é anistiado em sessão emocionada


Lenise Pinheiro/UOL

O hino tocou, mas em ritmo de bossa nova e pancadão. Autoridades estavam lá, mas ao lado de atores nus, que apresetariam espetáculo em homenagem a Eros. Ao invés de ocorrer nos salões de Brasília, o julgamento do pedido de anistia do ‘papa’ do teatro brasileiro, José Celso Martinez Corrêa, foi no Teatro Oficina, especificamente sobre a mesa que é cenário da peça que viria depois. Em sessão emocionada, o Estado brasileiro pediu perdão pelas violações que cometeu contra Zé Celso na ditadura.


Em 22 de maio de 1974, o teatrólogo foi encapuzado por agentes da repressão e levado ao Departamento de Ordem Política e Social (Dops), em São Paulo, onde passaria quase um mês. Nesse período, foi torturado. Recebeu choque elétrico, ficou pendurado no pau de arara e apanhou muito. Chegou a ser confinado em uma solitária.


Aqui o texto na íntegra

O nosso derredor

Tudo bem,,não estou reclamando desta coisas de terras distantes,,até mesmo porque elas falam também de nós,,de sentimentos nossos,,,e nos levam a lembrar de coisas nossas e a reconstituirmos nossa história.
É que sinto falta de coisas mais próximas..
Posso estar equivocado
É saudade do nosso dia-a-dia, coisas perto de nós,,estes videos caseiros que as pessoas morrem de vergonha de mostrar...que bobagem,,a terra há de nos comer logo logo e, quando isso ocorrer, o que estamos deixando senão apenas ossos no cemitério e nada, nada mesmo sobre nós?
de mr.
Quando a pessoa é fechada, ao se deparar com algo estranho ou que a princípio se pareça com coisa de mau gosto, esta pessoa fecha a porta.
A pessoa aberta abre a porta para ver do que se trata.

Coisas do nosso derredor

Este vídeo foi enviado pela Mariazinha ao Portal do Luis Nassif
.

FONTE: http://www.youtube.com/watch?v=urs2PbmtimM&feature=player_embedded
Não estou reclamando desta coisas de terras distantes,,estes filmaços de holywood..até mesmo porque eles falam também de nós,,de sentimentos nossos,,,e nos levam a lembrar de coisas nossas e a reconstituirmos nossa história.
Mas sinto sinto falta de coisas mais próximas de nós, do nosso derredor.
Posso estar equivocado
É saudade do nosso dia-a-dia, coisas perto de nós.